por: Evangeline Dulce-Bilugan

Lembro-me que em 1985, fui contratado como assistente social para trabalhar com as Irmãs Dominicanas Missionárias do Rosário. Foi o meu primeiro encontro com as irmãs. Eles estão servindo as crianças e famílias hansenite, que foram vítimas de ejeção. Honestamente, na minha mente eu estava incerta se eu posso conseguir trabalhar com eles.

A presença das irmãs dominicanas que trabalham com compaixão me inspira a permanecer no trabalho. Seu ato de bondade expressa na forma como lidam e trabalham com as famílias hansenite é admirável. Verdadeiramente, eles vivem pelos ensinamentos e dedicatórias de sua vocação.

Como eu viajo com as irmãs para servir os menos afortunados, eu me descubro ficando influenciado por seus ensinamentos e virtudes boas. Eu vi o seu esforço altruísta fazendo inúmeras obras humanitárias que consumiram até mesmo o seu tempo de oração e descanso.

Eles vivem o que ensinaram ao povo. Uma das melhores práticas é cultivar legumes orgânicos e árvores frutíferas na fazenda.  A partir deste trabalho trabalhoso, as irmãs derivadas fonte de consumo de alimentos a partir de sua própria colheita. A renda gerada ajuda a completar o pagamento de contas de água e eletricidade.

Mas o que eu mais gosto é trabalhar com as irmãs em CCF (Christian Children ‘ s Fund) agora ChildFund. Esta organização opera nas sete (7) comunidades em Barangay em Zamboanga City, parte sul das Filipinas.

Um dos esforços significativos foi ajudar as crianças em seus estudos. Ao longo deste esforço, as crianças em situação de crise são prestados cuidados pessoais e atenção.  As crianças em nível universitário recebem assistência financeira.  Aqueles com dificuldades são encaminhados para parceiros/partes interessadas para o apoio para salvá-los de parar de escolaridade.  A maioria deles realizou seu objetivo e tornou-se bem sucedida. Eles adquiriram emprego e alguns ocuparam uma posição mais elevada em serviços governamentais e não governamentais.

Outro desempenho digno foi a organização e o fortalecimento das associações de crianças, jovens e pais. Estas três (3) associações permitem-lhes iniciar actividades e promover a advocacia para a promoção dos seus direitos e protecção contra os abusos, a discriminação, bem como a participação e empoderamento. Para desempenhar e compartilhar responsabilidades que irão ajudá-los a crescer e ser os melhores líderes de trazer mudanças positivas em suas respectivas comunidades. A maioria deles se voluntariou para servir as vítimas do cerco de Zamboanga em setembro de 2013.

Através dos anos, a organização aumentou sua visibilidade e reconhecimento da Agência parceira e dos stakeholders. Aquisição de fundos, equipamentos modernos e instalações de produção para mulheres com o projeto de subsistência estão entrando. Alguns dos parceiros de longa data são MCI, você, Dole e da.

Ao longo de sua operação e gestão, há riscos e desafios. À medida que os anos se desenrolam, conseguimos lidar com as dificuldades que encontramos devido à grande preocupação para com as crianças e famílias os nossos cuidados. Celebramos e partilhamos a alegria e a consolação pelo pouco esforço e realização com as crianças, os jovens e os pais que nos mantêm juntos.

Verdadeiramente, trabalhar com as irmãs dominicanas é gratificante. É uma sensação de viver uma vida para os outros. Como um assistente social, às vezes mudando para outro trabalho cruzou minha mente, mas eu não tive o coração para prosseguir esta idéia para as irmãs se tornar uma família em servir as comunidades.

 

Share
Share
Share