A missão da Comunidade Sepahua é uma resposta aos gritos dos mais fracos. Ele também tem o seu apelo, mistério e charme. A grande diversidade e a riqueza dos diferentes grupos étnicos, a sua espiritualidade, a sua cosmovisão, a simplicidade da vida e a sua sabedoria tornam-na diferente de tudo.

Aqui as irmãs fazem o trabalho pastoral, temos vinte agentes que dedicam seu tempo neste serviço. Temos também o estágio de adolescentes nativos das comunidades Rivereñas para as quais tentamos fornecer uma formação integral.

Outra de nossas tarefas é a demuna (defensora Municipal da menina, criança e adolescente). O trabalho é promover e defender em todos os espaços os direitos e deveres das crianças e adolescentes. Conciliações extrajudiciais são realizadas por pensão alimentícia, holding e regime de visita.

Em la demuna também trabalhamos na prevenção da violência doméstica, abuso sexual, gravidez adolescente, aborto, doenças sexualmente transmissíveis, uso de drogas. Fazemos isso por meio de palestras, workshops, projeção semanal de filmes, campeonatos esportivos, etc. Coordenamos com as instituições educacionais, o centro de saúde, a segurança cidadã, a polícia, a rádio Sepahua e o município que é a instituição que promove a demuna. Acompanhamos mulheres violentas e oferecemos terapia psicológica a todos aqueles que a necessitam.

O desafio é fazer um impacto sobre a vida das pessoas com quem trabalhamos e visitar as mais de 30 comunidades ribeirinhas. Em alguns lugares temos ido pelo menos duas vezes no ano e em outros não uma vez, precisamos de uma maior presença de irmãs.

O Papa Francis fez um convite para formar uma igreja com um rosto amazônico, da riqueza incomensurável nesses povos. Estamos perto do Sínodo. Convidamo-lo a fazer parte da nossa comunidade, numa missão que, ao mesmo tempo, é um desafio e uma aventura.

Share
Share
Share