Começa com o afetuoso e caloroso acolhimento de Sr. Irene Farro e uma irmã. da delegação Sepahua no aeroporto de lima.

Viajei com a expectativa do meu reencontro com a minha querida professora primária, a Madre Claudia Aguayo e com a mãe. Elena naviven, garota peruana que teve sua experiência na cidade de Quinindé – Equador; Eu queria saber o berço da Congregação dos missionários dominicanos do Rosário e onde vivia o Santo equatoriano Narcisa de Jesus Hammer Morán e, claro, foi meu primeiro Congresso Missionário, eu estava interessado no tema a ser tratado nestes dias.

O primeiro dia de trabalho incidiu sobre o painel do fórum sobre o tema: "as relações que desumanizar", papéis de mulheres que de uma forma ou de outra fornecer e acompanhar as pessoas vulneráveis na sociedade; Com suas histórias fomos levados à reflexão sobre inclusão-pobreza, povos indígenas, diferentes capacidades, corrupção, gênero, tráfico de seres humanos, violência.

Cada exposição mostra a contribuição dos missionários dominicanos do Rosário, quer das escolas, do acompanhamento à mulher, da família, dos povos amazônicos e dos setores vulneráveis onde estão presentes.

O segundo dia de trabalho o tema focado em "humanizar a partir da experiência cotidiana", aqui a reflexão foi sobre como fazê-lo a partir de nossas vidas diárias em relação a Deus e com o outro em nosso trabalho ou serviço comunitário.

O terceiro dia, nas primeiras horas nós trabalhamos as prioridades para supor em nossa vida diária e nas ações concretas para realizar.

Em cada dia, após os trabalhos o trabalho foi feito nas comissões atribuídas e mais tarde a exposição da síntese nas reflexões dos tópicos.

O Congresso Missionário fechou com a celebração eucarística, muito estilo dominicano; Alegre, jovem, participativo, acolhedor, onde a presença real de Jesus é sentida.

Então, a apresentação artística no Colegio de Jesus em que a riqueza cultural dos países participantes foi exposta: Peru, Equador, Bolívia e Chile. Merci digna representante da cidade de Quinindé-Equador foi a estrela artística do Congresso Missionário, ganhou a apreciação de todos. Bem merecido, caro Merci. Eu coloquei duro com a dança da marimba….. lol. Com esta apresentação mostrou-se que quando Deus se une a nós não há fronteiras.

Todas essas atividades foram dadas em uma atmosfera de alegria e companheirismo, uma organização, que grelha a perfeição, cujas cabeças visíveis foram Sr. Irene Díaz  

Castro, Sr. Consuelo de Prado e o Sr. Samuel da gala Hidalgo. Parabéns!

 

 

Em conclusão

Os papéis foram muito enriquecedores e servem para fortalecer em nossas áreas de serviço aos mais frágeis da sociedade. É importante conhecer outras realidades longe de suas próprias e as capacidades de resiliência e desenvolvimento de outros povos e culturas. Conhecer uma miríade de exemplos, formas de ser, pensar, sentir e agir que moldam a vasta gama de identidades culturais que estão na América Latina e a possibilidade de encontrar pontos comuns com aqueles que você pensou tão distante.

Foi uma bênção ter podido participar no Congresso Missionário de Lima, tudo o que foi ensinado e feito produziu uma certa reviravolta na minha vida pessoal, eu digo total, há muito a mudar, eu sinto que a experiência que se vive em cada um desses encontros nos nutre do homem Foi positivo, aprender a continuar a lutar por um mundo melhor e mais justo.

No meu voluntariado na casa das crianças perpétuas sinto-me chamado a ajudar as meninas e adolescentes, logo que eu estou em minhas mãos: com a escuta, a palavra de esperança, a orientação ou o serviço que em qualquer momento pode emprestar a eles, no estilo de Jesus e do Ensinamentos ensinados por meus professores, os missionários dominicanos do Rosário. Há muito a ser feito, o desafio é grande.

Concluo dando graças a Deus e aos missionários dominicanos do Rosário, especialmente os Hnas. Elvira, Salomé, Olga e Juana do Equador que fizeram esta experiência possível que já faz parte da história.  Mil agradecimentos Hnas. Da escola de Jesus para a hospitalidade e as atenções que eles derramaram sobre nós.

A minha reunião com a Madre Claudia, inesquecível…...!!! , lembre-se daqueles tempos de sua missão em Chillanes-Equador, foi um retorno à minha infância e adolescência, gratidão eterna para o meu querido professor. Com a mãe. Natal de Elena há boas lembranças de sua passagem pelo Equador.

Que Deus ilumine o caminho dos missionários dominicanos do Rosário. Parabéns pelos 100 anos de criação e partilha de esperança!

 

Isabel Pacheco jarra
n ex-aluno dos missionários dominicanos da escol
a de Rosario. Rita de Cassia de Chillanes-Equador

 

Share
Share
Share