100 anos atrás, de distantes terras européias (Espanha), um grupo de pais dominicanos, liderados por Ramón Zubieta e Les, é inserido na Amazônia peruana (Madre de Dios River) para evangelizar e levar uma mensagem de esperança e fé, contra as condições E injustiça na vida das comunidades indígenas (discriminação contra as mulheres, sobreexploração dos recursos naturais, entre outros)

Monsenhor Zubieta é um pioneiro, um revolucionário na época, que confia plenamente na importância de educar as mulheres, sendo a Fundação da família, e transmitindo valores morais-espirituais; Desejando acabar com os estereótipos da época, defendendo igualdade de oportunidades e direitos para mulheres e homens.

Esta missão precisava ter a ajuda de mais religioso cometido, por esta razão, as Irmãs Missionárias dominicanas, chefiadas pela irmã ascensão Nicol, que respondem a este chamado e juntos, fundou a nossa congregação.

Muitos anos se passaram desta proeza evangelizadora, e várias atividades foram realizadas com a intenção de comemorar e dar um sentido de homenagem ao árduo trabalho dos nossos fundadores no centenário: concursos de desenho, pintura, canções, Encontro dos jovens e, naquela época, o Congresso Missionário "nova perspectiva para humanizar nossas relações"; Que foi desenvolvida na cidade de Lima-Perú entre 6 e 8 de julho.

Em relação à participação do Congresso, devo salientar que faz parte da delegação de professores da mãe universitária da mulher de Rosario, que está localizada na segunda região de Antofagasta, Chile.

Pessoalmente, foi a primeira vez que visitei a cidade de Lima, e viajei com grande expectativa de conhecer a cidade e sua história, a interação com os irmãos (as) de diferentes países que têm presença Dominica e os temas que estavam indo para o trabalho durante os dias.

No primeiro dia, cujo tema se concentrou em "relações desumanizantes", pude ouvir atentamente as várias apresentações feitas por mulheres líderes que trabalharam e contribuíram com sua visão em diversas áreas da sociedade: os povos nativos, Políticas governamentais (Ministério do desenvolvimento e inclusão social), educação inclusiva, violência baseada em gênero; Sendo muito interessante refletir sobre as estatísticas, conceitos, histórias de vida e abertura ao diálogo, que teve a Congregação contra questões contingentes que fazem parte do século XXI.

Em cada uma das histórias, manifesta-se a contribuição "real" e concreta das Irmãs Dominicanas do Rosário, seja das salas de aula, do trabalho com crianças, jovens e suas famílias sobre a questão da deficiência. Apoio às mulheres indígenas e sua dignidade na Amazônia.

Todo este trabalho fez sentido para mim, quando refletido no pensamento seguinte "é feito o bem como é amado" (ascensão da mãe Nicol), e que as irmãs aplicá-la à plenitude.

Por outro lado, no segundo dia, cujo tema se concentra em "humanizar a experiência cotidiana", fomos convidados a refletir sobre como podemos fazer nossas vidas diárias e a relação com Deus e com os outros, um exemplo de humanização.

 

 

Estas conferências foram trabalhadas à mão com a realização de workshops de grupo (SWOT da realidade) e posterior exposição das reflexões das questões de contingências, em torno de um clima de respeito, abertura e amizade, compartilhando com professores de Várias áreas do Peru (Lima, Huacho, Piura) e Chile (Calama), de quem eu aprendi muito com suas experiências de vida e esforços para permanecer no caminho da educação.

Esta bela reunião terminou com a realização de uma massa em movimento, onde cada um dos participantes contribuíram significativamente na organização da oração comunitária, e posterior apresentação artística de diferentes delegações, sentindo-se grato Por me permitir dançar e orgulhosamente levar a bandeira "Wiphala" com meus irmãos bolivianos, sendo um belo momento da União Latino-americana.

Gostaria de terminar agradecendo às Irmãs Missionárias Dominicanas do Rosário, por este belo exemplo de participação, pela sua hospitalidade e atenção às várias delegações; Para nos mostrar a cultura local e tornar-se parte de sua "história" Congregacional, que, sem dúvida, tem profundidade em nossos corações e convida a continuar o exemplo da missão…

"meu anseio é Ver os felizes que eu amo, para a sua alegria é a minha alegria" mãe ascensão Nicol

 

Daniela Rojo

Professor de história e Geografia

Mãe da faculdade das mulheres do Rosário

Antofagasta-Chile

Share
Share
Share