Graças aos meus pais que me deram vida e uma educação abrangente: humano-cristiana. Obrigado por sua generosidade e desprendimento, acompanhamento, compreensão e amor. Graças aos meus irmãos: Magda, tão longe – missionário no Japão – e tão perto, por meio de novas tecnologias; Graças ao William, quantas confidências e eventos compartilhados já sabe que o céu está feliz hoje comigo; Você, Javier, obrigado por sua proximidade com o silêncio de chita, sempre disponível; Graças a Lolita e Manolo, que foram e são uma extensão da vida, amor e cuidado dos papas em nossas vidas.

Sob a capa 2Um grande agradecimento a você, minhas irmãs: Carmen, Elvira, Ines, Amália, Amable, Isabel, Ana Graciela e Araceli. Obrigado pelo que você contribuir para minha vida, por que me ajudem a crescer como pessoa e como um missionário, obrigado pela sua paciência comigo, por sua acolhida e pelo teu amor.

Obrigado, graças a ordem, a Congregação e tantas Irmãs, do que por seu testemunho e amor fraternal, têm sido para mim uma ajuda para continuar a caminho do serviço de entrega e generosidade com aqueles em necessidade.

Graças a muitas pessoas com quem trabalhei, com quem eu já formaram verdadeiros laços de amizade e proximidade.

Graças a meus amigos padres e religiosos que me acompanharam ao longo dos anos, alguns ainda o fazem suas orações e carinho.

Graças a meus irmãos salesianos, desde a minha infância mais antiga formaram parte da minha família, a escola era a nossa segunda casa; o Comunidade, um enorme “Obrigado”.

Hoje, com um coração agradecido, eu posso dizer celebrar o CASAMENTO DE OURO, longe de sentir que a vida escapa, me incentiva a continuar andando com a paz, sem pressa, mas sem uma pausa, com um coração cheio de gratidão e de misericórdia.

Obrigado, senhor.  Obrigado Maria.  Graças à congregação.  Obrigado a todos.

Sinto que agora é quando a minha vida tem que crescer mais livremente, a sua plenitude. Agora, quando cada doce ou amarga experiência, cada realização grande ou pequeno, vai ser ocupando o seu verdadeiro lugar. É tempo de paz, de serenidade, de confiança.

Concluo com as palavras de s. Paulo: “Eu sei em quem pus a minha confiança”

Share
Share
Share