É com muita alegria que queremos partilhar convosco o nosso sentimento de gratidão pelos 25 e 50 anos de vida Consagrada.

No dia 11 de Agosto celebramos as Bodas de Prata das irmãs Angélica, Idalina, Maria Mulima, Inês, Blandina e de Raquel Gil Más a nossa Coordenadora Geral e de Ouro das Irmãs Trindade Lopes Secretaria Geral e Ignacia das Irmãs Dominicanas de Imaculada Conceição.

A Eucaristia foi celebrada na Paróquia de Todos os Santos (Mahotas), pelo Padre Cristiano o Secretario do Núncio Apostólico. Uma celebração simples mas muito entranhável e muito bem animada pelo grupo coral da Mahotas ensaiado pelas nossas irmãs da Comunidade. Agradecemos pelo empenho, carinho com que ensaiaram.

Depois da celebração Eucarística, deu-se um almoço onde participaram a família dominicana, alguns convidados e familiares das irmãs.

Logo após o almoço, houve parte recreativa, apresentação de presentes às homenageadas, com cantos e danças. Nessa ocasião o grupo das bodas de Prata agradeceu com um poema e envolveu com uma capulana (pano que usam as mulheres Moçambicanas) símbolo de coração materno e fraterno a irmã Maria Auxiliadora, que foi a formadora, um momento emocionante.

A celebração dos 25 e 50 anos significou para nós que Deus nos ama apesar das nossas limitações e da nossa pequenez, foram 25 e 50 anos de partilha e entrega da vida no meio do povo e na Congregação. Foi tempo em que experimentamos morrer em nós mesmas, para fazer brotar no nosso seio sinais de vida.

Celebrar as bodas de Prata e de Ouro significa viver a história com alegria, os desafios, e a missão. Nos alegramos de celebrar a presença de Deus nas nossas vidas, pela entrega e doação que ajudaram o Reino de Deus acontecer no meio do povo.

A celebração foi antecedida de um retiro onde refletimos sobre o “Vinho Novo em Odres Novos”, os actuais desafios da Missão, o chamamento à santidade tendo como modelo Jesus, que foi Homem de Periferia, partilhou uma mensagem de periferia.

Agradecemos a Deus pelas oportunidades que tem-nos oferecido ao longo desses 25 e 50 anos, agradecemos as pessoas que foram colocadas nos nossos caminhos que nos fizeram recordar muitas vezes a essência da Consagração e missão.

Agradecemos a Deus por permitir-nos viver da nossa teimosia, resiliência, perseverança, confiança, os medos e os desafios.

Agradecemos a infinita Misericórdia de Deus. Agradecemos a Congregação das Missionarias Dominicanas do Rosário, a nossas Comunidades onde vivemos e temos vivido, que nos fizeram sorrir, chorar, lutar, seguir acreditando o projecto de Deus nas nossas vidas.

Blandina Tamelia
Comunidade de Maputo

Share
Share
Share